A vendedora Joana tem 40 anos e emprestou o cartão do banco a um amigo. Ele tirou R$ 500, mas nunca mais pagou. Ela só foi saber que estava no cadastro do Serasa muito tempo depois. Será que essa dívida prescreve? Como se faz para limpar o nome? Confira as dicas da consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH.

Rafael ganha R$ 2 mil por mês como prestador de serviço de várias academias - ele é recém formado em educação física. O sonho dele é fazer uma pós graduação, mas será que as saídas com os amigos estão atrapalhando o plano? Confira a análise e as recomendações da consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH.


O sonho de Ana é fazer um intercâmbio no futuro, para se especializar em direito internacional. Ela pede ajuda à consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, para aprender como se organizar melhor. A jovem recebe uma bolsa de estágio de R$ 1.300 por mês. Ela é filha única e sua faculdade é a principal despesa da mãe, Iolanda, que recebe R$ 17.000 por mês. Confira as dicas.

Trabalhador deixou de poupar para pagar as contas de casa e quitar as dívidas, segundo avaliação de especialistas
Trabalhador deixou de poupar para pagar as contas de casa e quitar as dívidas, segundo avaliação de especialistasFoto: Divulgação

Consumidores que desejam renegociar dívidas com instituições financeiras poderão fazê-lo pela internet até 31 de maio utilizando uma plataforma online disponibilizada pelo Governo Federal. A ação faz parte da 4ª Semana Nacional de Educação Financeira, que envolve órgãos e entidades como o Banco Central, Ministério da Justiça e Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

O consumidor interessado deve registrar seu relato na plataforma e a empresa credora tem até 10 dias para manifestar-se a respeito. Após a manifestação, o consumidor tem mais 20 dias para responder e classificar a demanda como resolvida ou não resolvida. A plataforma tem 377 empresas cadastradas.

Segundo o secretário Nacional do Consumidor, Arthur Rollo, as maiores instituições financeiras do País estão cadastradas. “Caso a dívida seja com uma instituição que não está cadastrada, o consumidor pode informar e a gente vai tentar contato”, explicou.

A renegociação de dívidas online também foi aberta durante a Semana Nacional de Educação Financeira do ano passado. Em 2016, houve 3.034 manifestações de consumidores finalizadas, com média de solução de 79,5%, de acordo com dados do Ministério da Justiça.

Rollo disse que durante a campanha há uma força-tarefa para estimular a resolução das dívidas, mas ressaltou que os Procons também podem fazer a mediação desse tipo de contato em outros períodos. “Nos Procons é desenvolvido o ano inteiro”, afirmou.

O ministério e o BC também anunciaram a abertura de inscrições para três cursos a distância gratuitos sobre economia.

Luciana tem 23 anos e estuda psicologia. Apesar de conseguir alguma renda prestando pequenos serviços, ela fez uma dívida de R$ 5 mil e quer saber como fazer para quitar essa pendência. Confira as dicas da consultora Georgina Santos, da Ágilis RH.

Com uma renda mensal de R$ 10 mil, Luíza e Gustavo são funcionários públicos. Eles gastam pelo menos um terço deste valor com o financiamento da casa própria e do carro. Eles também têm como despesas os gastos em viagens para visitar parentes no Interior, deixando gasto de combustível fixo em até R$ 2 mil. Com isso, eles só conseguem poupar 10% do salário. E eles querem saber como poupar mais. A consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, explica como eles podem conseguir isso. Veja vídeo:

Maria Ângela tem as contas sob controle, faz planilha e cuida muito bem do dinheiro, mas é casada com um homem que é um tanto quanto desorganizado com as finanças. A consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, explica como o casal pode fazer para evitar os desgastes e desconfortos na relação que essa diferença pode causar.


O publicitário Luiz Felipe está de parabéns! Aos 24 anos ele não tem dívidas e comemora porque vai receber um dinheiro extra, R$ 25 mil. Ele quer saber qual a melhor forma de guardar esse valor, que planeja usar para dar entrada em um apartamento futuramente. A consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, tem duas dicas para ele: procurar o gerente do banco e criar o hábito de poupar. Confira os detalhes no vídeo abaixo.

Tereza, de 57 anos, comprou um apartamento na planta e, depois de se aposentar, não consegue mais pagar as parcelas. A solução que ela achou foi pedir dinheiro emprestado a parentes, que pretende devolver quando sair a indenização de uma causa trabalhista. A consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, sugere uma maneira de ela resolver tanto o financiamento do apartamento quanto a dívida familiar. Confira.

E nesse carnaval? Cair na folia ou vender umas cervejas e lanches para ganhar um trocadinho? A consultora Georgina Santos, da Ágilis/RH, explica à leitora Márcia como ela pode organizar melhor as finanças durante os dias da festa.

comece o dia bem informado: