Garotos do Case Jaboatão dos Guararapes terão programação especial no Dia das Crianças
Garotos do Case Jaboatão dos Guararapes terão programação especial no Dia das CriançasFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Por falta de instrução, por seguirem equivocadamente maus exemplos ou por qualquer que seja o fluxo, muitos jovens são privados da liberdade e deixam de experimentar momentos importantes antes da vida adulta por estarem cumprindo medida socioeducativa devido ao cometimento de um ato infracional. Para ajudar a passar o tempo e ensiná-los a olhar o mundão (como chamam a vida do lado de fora) com outras perspectivas, as unidades da Fundação de Atendimento Socieducativo (Funase) utilizam de diversas ferramentas, entre elas o esporte, uma das mais eficazes.

As atividades conquistam os jovens pelo caráter de lazer, mas, por trás dessa “capa”, o esporte tem muitas outras faces. É um poderoso aliado de professores e gestores na busca por um futuro melhor para cada socioeducando. Em Pernambuco, são 25 unidades da Funase, tendo dentro de algumas delas anexos das escolas da rede estadual de ensino. Em outras, os socioeducandos assistem às aulas nas escolas estaduais da comunidade. Tudo para que os jovens não parem os estudos. As aulas de educação física fazem parte da programação. Mas, em alguns Centros de Atendimento Socioeducativo (Case), as atividades vão além desse momento. No cumprimento de medida socioeducativa os jovens e adolescentes podem passar até 3 anos, mas em média permanecem 18 meses.

Leia também:
Roberto testa Bruno Mota em esboço de time titular
Adriano diz que quer voltar ao futebol em 2018

Entre as 12 unidades que possuem quadra, está o Case Jaboatão dos Guararapes, que atende meninos dos 12 até os 15 anos e seis meses e que tem instalado internamente um anexo da escola estadual Frei Jaboatão. Nesse anexo, o futsal é a paixão dos garotos, mas não é a única opção. “A cada bimestre tem uma modalidade de trabalho. O futsal é o 'tchan', mas em 2017, por exemplo, trabalhamos vôlei, implantamos basquete e fizemos uma quebra de tabu com o queimado, que muitos dizem ser ‘coisa de menina’. O esporte ajuda a quebrar paradigmas”, contou a professora Patrícia Silva de Melo. "Sempre assistia futebol na televisão quando estava lá fora, mas não jogava. Comecei a jogar aqui (Case Jaboatão) e tenho gostado bastante. Quem sabe quando sair não entro em uma escolinha e posso até chegar a um clube?", disse um adolescente de 15 anos.

Outras atrações da unidade são a capoeira, com aulas diárias, e os jogos de tabuleiro, xadrez, dama e dominó. “A inserção das atividades tem cunho pedagógico. Trabalham o cognitivo, desenvolvem o raciocínio, além de disciplinar”, explicou Patrícia. Segundo ela, o esporte é um grande aliado nos dias em que a casa de convivência está estremecida. “Como em qualquer casa, tem os momentos de conflitos, são adolescentes. E o esporte é sempre agregador. Então fazemos uma gincana, pegamos pessoas que não se falam, mas que têm de jogar em prol de um mesmo time. É uma ferramenta no processo de socioeducação por ajudar na integração, nas lições de respeito e coletivismo”, completou.

Neste Dia das Crianças, os jovens do Case Jaboatão dos Guararapes terão uma programação diferente. Ao lado de outras duas unidades (Case Vitória de Santo Antão e Timbaúba), além da sede da Funase, que fica no Recife, os socioeducandos participarão do I Campeonato de Futsal da Funase, no Ginásio Esportivo de Timbaúba. “Muitos desses meninos nunca tiveram um Dia 12 diferente. Nossa ideia é proporcionar isso a eles, tanto que no dia 13 faremos outra programação, só na nossa unidade”, revelou o coordenador geral do Case Jaboatão, Mozat Lourenço, responsável pela surpresa aos jovens, com os quais ele muito se identifica.

“Quando jovem, participava de um núcleo de prevenção da Febem (extinta Fundação do Bem Estar do Menor, hoje Funase), que desenvolvia um trabalho assistencialista com crianças e adolescentes de áreas carentes, independente da prática de ato infracional. Tinha esporte, cultura, várias atividades. Escolhi o esporte, o futebol de salão. E isso me abriu portas, tive meu primeiro estágio, me fez crescer. Vejo a ansiedade que os meninos têm antes dos jogos que fazemos internamente ou campeonatos fora e recordo minha época. Uso essa ferramenta para me aproximar deles”, revelou Mozat, que troca a roupa social pelas chuteiras sempre que possível para jogar com os socioeducandos.

Fora esse campeonato, os meninos têm outros eventos para estimular a prática esportiva, além da participação nas Olimpíadas Criança Cidadã. As Olimpíadas são realizadas pela Secretaria Estadual de Educação, entre alunos de escolas das redes municipal e estadual, entre 14 e 17 anos, e engloba nove modalidades. Os centros inscrevem os socioeducandos através das escolas às quais são ligados e eles participam normalmente. O Case de Jaboatão, inclusive, tem um histórico campeão nos jogos de tabuleiro, principalmente o xadrez. Essa unidade tem atualmente 47 meninos, com capacidade para até 72.

Garotos do Case Jaboatão dos Guararapes terão programação especial no Dia das Crianças
Garotos do Case Jaboatão dos Guararapes terão programação especial no Dia das CriançasFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco
Jogos de tabuleiro, como o xadrez, também têm destaque entre os socioeducandos
Jogos de tabuleiro, como o xadrez, também têm destaque entre os socioeducandosFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco
Jogos de tabuleiro são uma das atrações
Jogos de tabuleiro são uma das atraçõesFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco
Dominó também faz parte das atividades
Dominó também faz parte das atividadesFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco
Crianças se divertem jogando futsal
Crianças se divertem jogando futsalFoto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: