Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Fernando Bezerra Coelho
Fernando Bezerra CoelhoFoto: Valter Campanato/Agência Brasil

Uma nova decisão, proferida ontem em favor do senador Fernando Bezerra Coelho em meio à disputa que se arrasta no MDB, carrega uma simbologia na política. Entre aliados e também entre adversários do senador, soou como novo fôlego para ele na batalha. Em Brasília, parlamentares acreditam que mais cedo ou mais tarde essa briga terá desfecho favorável a FBC, inclusive por uma razão que o próprio MDB-PE, presidido pelo vice-governador Raul Henry, alegou no pedido de reconsideração dirigido ao juiz da 26ª Vara Cível de Recife, José Alberto de Barros Freitas Filho: trata-se de um jogo de "cartas marcadas". Em outras palavras, o presidente nacional do MDB, Romero Jucá, já anunciou o final dessa "novela". Na prática, no entanto, o tempo tem corrido contra os dois lados na disputa. A primeira decisão em favor de FBC, proferida na semana passada, veio em momento de recesso no Congresso Nacional. Não à toa, aguardava-se, entre aliados do senador, que o diretório nacional notificasse o MDB-PE para apresentar defesa no processo de dissolução já no início desta semana, o que acabou não se consolidando. O desenrolar na Justiça terminou não casando com a retomada de trâmites internos do PMDB nacional referentes ao caso.

No Estado, o agravo impetrado pelo MDB-PE será analisado pelo desembargador Francisco Eduardo Sertório, porque o gabinete responsável é o de Josué Sena, mas ele está de férias. Josué já havia oferecido negativa em outra matéria a FBC. Sertório pode ter novo olhar sobre o caso, ou não. Em meio ao compasso mais lento do recesso, o PMDB nacional arrisca esbarrar na possibilidade de Sertório acatar recurso de Raul Henry, o que dará mais tempo ao MDB-PE. Caso contrário, Henry recorrerá à Câmara Cível, composta por três desembargadores, e esse processo pode se arrastar até março. E as eleições vão se aproximando a despeito das férias.

Relator em recesso
Havia expectativa de que a notificação de Raul Henry pelo diretório nacional se desse até a última terça para que o diretório estadual pudesse apresentar defesa e o relator, Baleia Rossi, em seguida, apresentasse seu relatório. Mas quando a autorização para prosseguimento do processo de dissolução saiu, na semana passada, a assessoria de Baleia informou que, diante das férias, o caso estava "parado" e que os trabalhos só seriam retomados esta semana.

Tinha esperança > Advogado do MDB-PE, Carlos Neves observa que o pedido de reconsideração é "de praxe", mas que o partido protocolou o mesmo na sexta-feira e ainda esperou até a última segunda-feira para ingressar com o agravo de instrumento de forma a levar o caso à segunda instância.

Não demora > Carlos Neves acredita que uma decisão do desembargador Francisco Eduardo Sertório deve sair esta semana.

Vigília 1> Em Pernambuco, panfletos convocando para uma vigília nos dias 23 e 24 de janeiro começaram a ser distribuídos. Na Terça Negra Especial de Carnaval, o material já estava circulando.

Vigília 2 > O folder diz que "Eleição sem Lula é golpe" e conclama: "Pernambuco de vermelho nas ruas em defesa de Lula". O julgamento do ex-presidente no TRF4, que analisará o caso do tríplex do Guarujá, será no dia 24.

Primeiro papo > A Rede promove, esta quinta (18), o primeiro debate de Júlio Lóssio com a militância. O ex-prefeito de Petrolina pode vir a ser candidato a governador pela sigla, como a coluna cantou a pedra ainda em novembro. O encontro se dará no auditório do empresarial ETC. Na pauta: Educação e Sustentabilidade.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: